Ônibus de Florianópolis fará passeio com 50% de desconto a jogadores de Pokémon GO neste sábado

Foi a paixão por videogames que acendeu em Rosana Munhoz, gerente da empresa By Bus Turismo, a ideia de promover passeios guiados por Florianópolis para aficionados do Pokémon GO capturarem os monstrinhos pela cidade. Neste sábado, a empresa do característico ônibus verde-limão vai oferecer duas rotas com 50% de desconto. E engana-se quem pensa que a promoção é apenas para adolescentes e crianças: até mesmo marmanjos que comprovarem que ter o jogo instalado no smartphone terão direito ao preço especial.

Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

– Quando eu era bem mais nova, era doida por videogame. Quando eu vi a história do jogo fazendo sucesso, pensei que, se tivesse o ônibus na época, eu aproveitaria esse passeio – conta Rosana.

Pela manhã, o ônibus vai percorrer cerca de 90 quilômetros de metade da Ilha de Santa Catarina em seis horas e meia, concentrando-se numa área que abrange Centro, Lagoa da Conceição, Ingleses, Jurerê Internacional e Santo Antônio de Lisboa (veja a rota completa abaixo), ao custo de R$ 45 por pessoa – o preço normal do trajeto é de R$ 90. Haverá paradas em pontos turísticos, como o Mirante da Lagoa da Conceição, na Praia da Joaquina e em Jurerê Internacional, com uma hora de intervalo para almoçar (o valor da refeição não está incluído).

À noite, o trajeto é focado no Continente e parte do Centro da Capital. São duas horas e meia entre a Praça XV de Novembro, Ponte Hercílio Luz, Avenida Beira Mar Continental, Via Gastronômica de Coqueiros e Praia de Itaguaçu.

Segundo Rosana, as paradas terão tempo suficiente para os jogadores saírem à caça dos pokémons e terão a supervisão de um guia, que acompanha e orienta o grupo. E, claro, os pais são convidados a acompanhar. Mas se não tiverem o aplicativo instalado, terão de pagar o preço normal.

Jogadores até 14 anos precisam estar acompanhados de um responsável com mais de 18 anos. Já adolescentes a partir de 15 anos devem apresentar uma autorização por escrito assinada por pais ou responsáveis.

Apesar de o ônibus ter o segundo andar descoberto, Rosana garante que a segurança dos passageiros está garantida, uma vez que a empresa faz frequentemente passeios com crianças e adolescentes em excursões escolares.

– O ônibus é equipado com câmeras para monitorar o comportamento das crianças e se elas estão usando cinto. A gente tem condição de supervisionar e um guia vai na parte de cima – explica.

Texto de Cristian Edel Weiss

Fonte: Diário Catarinense

VIAÇÃO DO VALE VAI OPERAR POR MAIS QUATRO MESES EM GASPAR

A segunda audiência conciliatória entre a Prefeitura Municipal de Gaspar e representantes da Auto Viação Do Vale, realizada na quinta-feira, dia 28, resultou no fim da concessão da empresa na cidade.

Depois de questionar itens e apresentar considerações sobre a proposta da empresa de transporte coletivo, o governo concluiu que não seria possível aceitar o aumento da tarifa, uma das exigências da companhia. Nos dias 9, 10 e 11 de agosto haverá audiências públicas para discutir a respeito da nova licitação e, com isso, o edital para contratação de uma outra empresa será encaminhado ao Tribunal de Contas do Estado, que terá até 60 dias para analisá-lo antes da publicação.

Durante a reunião, o prefeito Pedro Celso Zuchi, explicou que gostaria de manter o preço da passagem comprada na hora e a do cartão por R$ 3,50 e R$ 3,25, respectivamente, e que não seria possível aumentar o valor para R$ 4,27. A empresa afirmou que o custo seria maior devido ao desejo de reequilibrar as contas e manter os serviços na cidade.Auto Viação Do Vale 5121 [2015D]

De acordo com o assessor administrativo da Prefeitura de Gaspar, Fernando Borba Castro, mesmo com o fim da concessão a empresa deverá cumprir os quatro meses de serviço sem nenhuma alteração. “Eles precisam manter o preço das passagens e todas as linhas nesse tempo. Além disso, o aviso prévio que os funcionários estão cumprindo desde o dia 13 de julho será revogado, para não prejudicar a população”, explica.

Fonte: Cruzeiro do Vale

PREFEITURA E VIAÇÃO DO VALE VOLTAM A NEGOCIAR

A situação do transporte coletivo urbano de Gaspar deverá ser resolvida nesta quinta-feira (28) à tarde, no Fórum. Uma audiência conciliatória envolvendo a Prefeitura e a empresa Auto Viação Do Vale discutirá os rumos da atual concessão. Eles já estiveram na semana passada para discutir o tema, mas na falta de acordo, o Judiciário ampliou o prazo para que as partes cheguem a um consenso.

Segundo o prefeito Celso Zuchi, a Auto Viação Do Vale deseja que haja uma compensação financeira, pois o serviço de transporte coletivo está deficitário na cidade. A Prefeitura não quer reajustar a tarifa nem criar um subsídio para cobrir esses gastos. “Um subsídio só se for por uma decisão judicial”, afirmou o prefeito.Auto Viação Do Vale 5132 [2013D]

Enquanto resolve a questão com a Auto Viação Do Vale, a Prefeitura de Gaspar prepara um novo edital do transporte coletivo, que precisa ser lançado neste ano.

Na primeira quinzena de agosto, três audiências públicas devem ser marcadas na cidade para apresentar a proposta. Depois, o documento vai ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). Após a análise do TCE, o Executivo poderá lançar o novo edital. A Viação Do Vale opera na cidade desde 2002, mas a licitação foi questionada na Justiça.

Texto de Giovanni Ramos

Fonte: Jornal Metas

USUÁRIOS SÃO SURPREENDIDOS COM AUMENTO NA PASSAGEM DA VERDE VALE

Os usuários que se deslocam entre as cidades de Blumenau, Gaspar e Ilhota foram surpreendidos na manhã desta quinta-feira (21) com o reajuste na passagem da empresa Viação Verde Vale. A linha Gaspar x Blumenau que antes custava R$ 3,65, passou a ser R$ 4,00, aumento de 9,2%.

De acordo com gerente da Viação Verde Vale, Rodrigo Bogo, o aumento faz parte de uma determinação do Departamento de Transportes e Terminais (Deter). “Todas as empresas que fazem linhas intermunicipais passaram por este reajuste, mas nós deixamos para fazer este reajuste mais tarde”, destaca.Tarifas Verde Vale 2016

Os usuários que colocaram créditos no cartão até esta quarta-feira (20) poderão utilizar o transporte com o preço antigo, já quem colocar créditos a partir desta quinta-feira (21) vai pagar o novo preço.

Fonte: TV Gaspar

CIDADES DO VALE SOFREM COM PROBLEMAS NO TRANSPORTE COLETIVO

Responda rápido: o que Blumenau, Gaspar, Indaial e Timbó têm em comum? Além da proximidade geográfica e de traços culturais dos colonizadores, a resposta também pode ser problemas envolvendo o transporte coletivo. Processos conturbados de suspensão de contratos e novas licitações têm criado insegurança para passageiros e gestores e colocam em xeque o formato de operação do serviço nesses quatro municípios.Piracicabana Blumenau 6431

O problema mais expressivo é o de Blumenau. Após paralisações, problemas financeiros das empresas e a consequente ruptura do contrato com o Consórcio Siga, no fim de janeiro a Piracicabana assumiu o serviço com base em um contrato emergencial de seis meses. O acordo venceu na sexta-feira e um novo documento foi assinado no mesmo dia, até 16 de janeiro de 2017. Caso a licitação seja concluída antes disso, o Seterb informa que o contrato emergencial é encerrado.

Ao mesmo tempo, a prefeitura trabalha no lançamento do edital da nova licitação, que vai escolher a empresa que assumirá o serviço pelo prazo de 20 anos. O documento elaborado pela prefeitura passou pela diretoria de licitações e pela procuradoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC) e aguarda análise do conselheiro relator. A expectativa do presidente do Seterb, Carlos Lange, é de que o município receba o parecer ainda nesta semana. “A partir daí vamos analisar as possíveis adaptações sugeridas e, em duas a três semanas, pretendemos publicar a abertura da licitação” explica Lange.

A possibilidade de participação na nova concorrência das empresas Verde Vale, Rodovel e Glória, que compõem o Consórcio Siga, ainda depende do resultado de um processo que tramita na Secretaria de Administração. A previsão é de que as empresas sejam notificadas a se defenderem até o fim de julho. Um parecer de recomendação será elaborado e a decisão de puni-las ou não caberá ao Seterb. Na Justiça, o Consórcio Siga tenta anular a caducidade do contrato declarada em janeiro e busca uma liminar para impedir a nova licitação, mas o processo ainda não teve decisões.

NOVA LICITAÇÃO TAMBÉM EM GASPAR

O problema de Blumenau se repete em outras três cidades próximas, que juntas somam 198 mil passageiros/mês e 34 linhas. Em Gaspar, o contrato feito via licitação em outubro de 2002 teve a suspensão confirmada por uma decisão da 1ª Câmara do Direito Público do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), que determinou também a realização de uma nova concorrência pública.

Com o contrato suspenso, a demora para abrir novo edital e a dificuldade financeira causada pelo número de passageiros considerado abaixo do necessário pela empresa, a concessionária Auto Viação Do Vale ameaçou interromper o serviço há duas semanas. A prefeitura conseguiu uma liminar que determina a manutenção do transporte por quatro meses, até a conclusão da nova licitação.

O gerente administrativo da empresa, Bruno Nunes Corrêa, afirma que a tendência é de que a companhia mantenha as atividades no período, mas que precisará de um subsídio da prefeitura. Uma sugestão dada pela empresa em uma reunião seria o reajuste da tarifa para R$ 4,20, mas a possibilidade é vista como muito remota pela prefeitura. Um encontro ocorre na quinta-feira para definir o futuro do transporte coletivo no município.

Enquanto isso, a prefeitura também trabalha na nova licitação, que deve ter a minuta entregue à prefeitura nos próximos dias. Segundo o secretário de Administração de Gaspar, Carlos Alberto Peixer Vinci, a intenção é fazer três audiências públicas nos dias 9, 10 e 11 de agosto para apresentar o edital à população e, em seguida, enviá-lo ao TCE-SC, que deve analisar a proposta de licitação em até 60 dias.

Texto de Jean Laurindo

Fonte: Jornal de Santa Catarina

MPF DEFENDE NOVA LICITAÇÃO NO TRANSPORTE COLETIVO DE CRICIÚMA

Foto: Daniel Burigo

O Ministério Público Federal entende que deve ser realizada uma nova licitação no transporte coletivo de Criciúma. A posição foi manifestada pelo Subprocurador Geral da República Moacir Guimarães Moraes Filho em parecer no processo que tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. Agora, cabe ao STJ tomar uma decisão a respeito da concessão do serviço em Criciúma.

O processo, que já está no STJ, é resultado de uma série de decisões judiciais e recursos que se iniciaram com uma ação civil pública ajuizada pela 11ª Promotoria de Justiça de Criciúma em 2012. Moraes Filho não trouxe nenhum novo argumento ao processo, apenas manifestou concordância integral com o que já havia defendido o Ministério Público de Santa Catarina.

JUIZ DA COMARCA OBRIGOU LICITAÇÃO…

Para a Promotoria, as renovações feitas em 2010 foram ilegais. Os contratos com as empresas foram assinados pela primeira vez em 1982, sem o devido procedimento licitatório, no entendimento do Ministério Público de Santa Catarina. Conforme a 11ª Promotoria de Justiça, à época, havia apenas 21 linhas de transporte coletivo. Desde então, foram criadas 42 novas linhas ilegalmente.

Com base nesses argumentos, a 2ª Vara da Fazenda de Criciúma determinou, em fevereiro de 2013, que a Prefeitura fizesse nova licitação para a escolha das empresas concessionárias do serviço, sentença assinada pelo juiz Rogério Mariano do Nascimento.

…MAS TRIBUNAL DE JUSTIÇA REVERTEU A SENTENÇA

Um ano depois, enquanto todos os preparativos para o processo licitatório eram feitos, o Tribunal de Justiça reverteu a decisão da 2ª Vara, ao acolher os argumentos fornecidos pelo Município e pelas atuais concessionárias, em maio de 2014.

A Prefeitura assegurou não havia irregularidades na renovação do contrato por mais 20 anos, celebrada no dia 30 de dezembro de 2010. Isso foi feito, segundo a Administração Municipal, para amortizar investimentos feitos pelas concessionárias no sistema. Do contrário, as empresas precisariam ser indenizadas à época em quase R$ 43 milhões, o que “culminaria em enorme estrago aos cofres públicos”.

Inconformado com a decisão do TJ, o Ministério Público voltou a recorrer, em agosto do ano passado, desta vez ao Superior Tribunal de Justiça. Apesar do parecer do Ministério Público Federal defendendo a decisão da primeira instância que obrigava a realização de nova licitação, o recurso em Brasília ainda não foi julgado.

UMA HISTÓRIA DE MAIS DE 34 ANOS

17 de março de 1982
Sob o mandato de Altair Guidi (ARENA), a Prefeitura de Criciúma publicou o edital de concorrência pública para a concessão de uma linha de transporte coletivo. Atualmente, não há mais cópias de todos os documentos referentes ao processo licitatório.

8 de abril de 1982
Prefeitura firmou contrato de concessão com a Expresso Rio Maina Ltda., vencedora da licitação, com duração de cinco anos, prorrogáveis por mais cinco.

16 de abril de 1982
Prefeitura de Criciúma publicou edital de concorrência pública para a concessão de 21 linhas de transporte coletivo. Atualmente, não há mais cópias de todos os documentos referentes ao processo licitatório.

10 de maio 1982
Prefeitura firmou contratos de concessão de três linhas de transportes coletivos com a Expresso Coletivo Forquilhinha, três linhas com a Expresso Rio Maina Ltda., e sete linhas com a Auto Viação Critur Ltda. As empresas venceram a concorrência pública iniciada no dia 16 de abril. Os contratos tinham duração de cinco anos, prorrogáveis por mais cinco. Portanto, poderiam durar, no máximo, até 10 de maio de 1992.

9 de março de 1990
Novamente com Altair Guidi (PDS), a Prefeitura renovou as concessões do serviço de transporte coletivo urbano com as empresas Expresso Coletivo Forquilhinha, Expresso Rio Maina e Auto Viação Critur, até maio de 2000, podendo ser prorrogadas até maio de 2008.

7 e 9 de abril de 2000
No último ano de mandato de Paulo Meller (PMDB), a Prefeitura renovou o contrato de concessão com as empresas Expresso Coletivo Forquilhinha, Zelindo Trento e Cia. Ltda., Expresso Rio Maina Ltda. e Auto Viação Critur até abril de 2010, podendo ser renovados até abril de 2020.

3 de novembro de 2000
Prefeitura de Criciúma firmou contrato de concessão do “Mineirinho” com as mesmas quatro empresas.

5 de abril de 2010
Com Clésio Salvaro (PSDB) como prefeito, a Prefeitura aditou aos contratos de concessão do serviço de transporte coletivo urbano firmados com as mesmas quatro empresas, prorrogando até 31 de dezembro daquele ano.

30 de dezembro de 2010
Prefeitura aditou aos contratos firmados com as quatro empresas, prorrogando até 31 de dezembro de 2030, com a justificativa de “indenizar” as concessionárias “dos créditos remanescentes de investimentos não amortizados e/ou depreciados”.

4 de julho de 2012
Promotor de Justiça Maurício Medina, então respondendo pela 11ª Promotoria de Justiça de Criciúma, ajuizou ação civil pública com o objetivo de obrigar a Prefeitura a fazer nova licitação no transporte coletivo.

15 de fevereiro de 2013
Durante a interinidade de Itamar da Silva (PSDB) como prefeito, o juiz Rogério Mariano do Nascimento determinou que uma nova licitação deveria ser feita num prazo de dez meses. A Prefeitura recorreu.

6 de maio de 2014
Já no mandato de Márcio Burigo (PP), a Segunda Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça aceitou, por unanimidade, o recurso da Prefeitura e reverteu a sentença do ano anterior. O Ministério Público recorreu e o processo está até hoje no Superior Tribunal de Justiça.

Texto de Renan Medeiros

Fonte: Portal Clicatribuna

DETER E PREFEITURA SINALIZAM PARADAS INTERMUNICIPAIS EM BARRA VELHA

Atendendo a antiga solicitação dos usuários, os pontos de embarque e desembarque urbano no município de Barra Velha foram sinalizados corretamente numa ação conjunta do Deter e Prefeitura Municipal.

Os passageiros que disputavam os pontos com carros estacionados, bem como os pontos mal sinalizados agradeceram a iniciativa que torna mais fácil o uso do coletivo e facilita desde a visualização e segurança de quem utiliza o transporte intermunicipal de passageiros.

Divulgação: Deter

Fonte: Deter

LICITAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO EM LAGES TEM ÚNICA EMPRESA INTERESSADA

Nesta quarta-feira (13) ocorreu a primeira etapa do processo licitatório para o transporte coletivo em Lages, na serra catarinense e apenas uma empresa se mostrou interessada em prestar o serviço na cidade, justamente a atual que já presta este serviço. A Transul.

Após essa primeira etapa, a Transul é a única empresa que pode participar do processo licitatório nas próximas etapas e se atender a todas as exigências do edital terá a concessão pelos próximos 20 anos. Se confirmado, a concessão irá totalizar até o final dos 20 anos, mais de seis décadas ininterruptas prestando o serviço de transporte coletivo em Lages.

Como é a única empresa participante, a Transul poderá complementar a documentação no decorrer da licitação. Para perder a licitação, somente se a empresa não cumprir as exigências do edital.

Fonte: Lages Diário

BALNEÁRIO CAMBORIÚ E ITAJAÍ TERÃO TOUR EM ÔNIBUS PANORÂMICO

Foto: Divulgação

Balneário Camboriú terá um ônibus turístico panorâmico para city tours. O BC By Bus será lançado no dia 20 de julho, quando a cidade completa 52 anos. Os ingressos serão promocionais na estreia: R$ 20,00.

A partir do lançamento, no dia 21 de julho, o passeio será realizado em dois horários, de terça a sábado: às 9h e às 14h, e aos domingos, às 14h. A partir do lançamento, terá uma tarifa fixa de R$ 55,00 para adultos e R$ 25,00 para crianças de 4 a 12 anos. A empresa oferece condições especiais para grupos.

O tour sai do Shopping Atlântico e inclui Avenida Brasil, Barra Sul, Avenida Atlântica e Estrada da Rainha. O ônibus segue para Itajaí e passa pela Praia Brava, Atalaia, Avenida Beira-Rio, Mercado Público e Igreja Matriz.

O ônibus panorâmico tem 73 pessoas. O andar superior não tem janelas, mas possui teto retrátil que oferece a possibilidade de circular completamente aberto ou com a utilização da cobertura. O BC By Bus terá áudio com informações e curiosidades em português, das localidades, além de dicas de segurança. O sistema de som está instalado em cada poltrona e as informações são traduzidas em três idiomas: português, inglês e espanhol.

Além das informações gravadas por meio do sistema de som o ônibus terá um guia de turismo local, através da parceria com a Aguitur – Associação de Guias de Turismo de Balneário Camboriú, que concedeu ao BC by Bus o título de “city tour oficial”.

O BC By Bus é resultado de uma parceria entre o Grupo Embraed, através do Infinity Blue Resort & Spa, com apoio do município e governo do Estado.

Texto de Dagmara Spautz

Fonte: Jornal de Santa Catarina

FUNCIONÁRIOS CUMPREM AVISO PRÉVIO E FUTURO É INCERTO NA VIAÇÃO DO VALE

Uma reunião na terça-feira, dia 19 de julho, vai decidir o futuro do serviço oferecido pela Auto Viação Do Vale em Gaspar. Os funcionários estão cumprindo aviso prévio e a empresa pode parar caso não seja realizado, nos próximos dias, um contrato emergencial. A empresa se opõe a concessão atual e planejava interromper a circulação dos ônibus na cidade a partir da sexta-feira, dia 15, mas voltou atrás pela expectativa de que a Prefeitura faça uma nova concessão do serviço. Segundo o gerente da Auto Viação Do Vale, Bruno Nunes Correa, na reunião será discutido o contrato emergencial.

De acordo com o gerente, na quarta-feira, dia 13, todos os trabalhadores foram avisados que dentro de um mês podem ser desligados. Caso a audiência conciliatória resulte em um contrato emergencial, a empresa pretende prestar o serviço e, se ganhar a licitação oficial que ainda será lançada, recontratar os empregados e pagar os direitos dos funcionários. “A empresa pretende atuar no município até que a outra se estabilize”, diz o gerente. Se uma outra empresa assumir, os funcionários não serão readmitidos.

Para os usuários do transporte público, fica a expectativa pelo que será decidido na audiência. Ainda existe a possibilidade de o serviço parar, caso empresa e Prefeitura não entrem em acordo na reunião. Com outra empresa prestando o serviço, os valores depositados em cartões de passagem não serão perdidos, de acordo com Correa. Para tentar garantir o transporte para população, a Prefeitura entrou com um mandato de segurança e o juiz concedeu liminar. A Justiça determinou que a Viação Do Vale deverá manter a periodicidade, os horários e as rotas existentes por quatro meses a partir do momento em que a sentença transitar em julgado. Caso a empresa paralise os serviços deverá pagar uma multa diária no valor de R$ 10 mil.Auto Viação Do Vale 5127 [2014T]

A CONCESSÃO

A concessão para o transporte coletivo urbano em Gaspar foi efetuada por meio de licitação em outubro 2002, por um prazo de quinze anos. Uma ação Judicial cancelou o contrato em março de 2015, dando prazo de quatro meses, para que nova concessionária fosse contratada. A Prefeitura recorreu da decisão, mas acenou que mudaria o contrato e informou que um novo edital está sendo elaborado por uma empresa terceirizada para efetuar os estudos técnicos, com previsão de lançamento até o final do ano.

Fonte: Cruzeiro do Vale

1 2 3 31