Semana inicia com reajuste na tarifa do transporte coletivo de Gaspar

A partir desta segunda-feira, dia 2 de outubro, os usuários do transporte coletivo de Gaspar vão pagar R$ 0,20 a mais nas passagens de ônibus. O novo valor da tarifa é estipulado em R$ 3,80 e passa a valer no mesmo dia em que a Prefeitura de Gaspar assina o novo contrato emergencial com a empresa Coletivo Caturani. O contrato tem validade de até 180 dias e será encerrado quando a empresa vencedora da licitação da concessão iniciar a operação.

Os encaminhamentos da licitação da concessão estão sendo realizados pela Secretaria da Fazenda e Gestão. “Nosso esforço tem sido constante neste processo. Entendemos que o contrato emergencial é a melhor forma de garantir o serviço que é essencial à nossa comunidade”, disse o secretário da pasta, Carlos Roberto Pereira.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Vale

Ônibus que levava alunos para a Univali é incendiado por bandidos

Alguns alunos da Univali de Itajaí passaram por momentos de tensão na noite desta sexta-feira, 1° de setembro. Por volta das 19h, seis bandidos abordaram um ônibus nas proximidades da universidade e renderam o motorista e os alunos. Num primeiro momento, todos acreditaram se tratar de um assalto. Em seguida, porém, os criminosos jogaram gasolina na porta do ônibus e atearam fogo.

Para escapar do incêndio, os alunos tiveram que pular das janelas do ônibus. Pelo menos um estudante se feriu e foi levado ao hospital com ferimentos leves.

O ônibus abordado pelos criminosos transportava alunos de São João Batista. Nele, estavam mais de 40 estudantes. Em nota, o prefeito de São João Batista afirmou que está tomando as devidas providências.

Gaspar

Diversas pessoas de Gaspar fazem parte do quadro de estudantes da Univali de Itajaí. A empresa ACD Transportes, que leva parte desses alunos para a faculdade, não concluiu o trajeto nesta sexta e voltou para Gaspar quando soube do atentado ao ônibus de São João Batista.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Vale

Justiça congela bens da Coletivo Itajaí até que créditos sejam ressarcidos aos passageiros

A juíza Sônia Moroso Terres, responsável pela Vara da Fazenda Pública de Itajaí, determinou nesta quinta-feira que a Coletivo Itajaí, ex-concessionária de transporte coletivo na cidade, responda em até cinco dias quem são os usuários que têm dinheiro retido no cartão SIM e o quanto é devido a cada um. A empresa tem 15 dias para ressarcir o que é devido, que nos cálculos da prefeitura chega a R$ 1 milhão.

A Justiça decretou a indisponibilidade de bens da empresa, e caso ela não tenha dinheiro suficiente para devolver os créditos, está autorizada a retirada de veículos e imóveis para ajudar a pagar a conta.

A decisão também anula o artigo do decreto de 2007, que instituiu a bilhetagem eletrônica, que determinava prazo de validade de um ano para os créditos. Desta forma, o ressarcimento será retroativo a cinco anos — até 2012.

A ação que resultou na decisão judicial foi movida pelo Procon de Itajaí na semana passada. A Coletivo Itajaí deixou o serviço no dia 31 de julho, quando o contrato com o município foi cancelado. Desde então o serviço está sob responsabilidade da empresa Transpiedade.

Texto de Dagmara Spautz.

Fonte: O Sol Diário

Vereadores debatem melhorias para o transporte entre o Belchior e Blumenau

Foto: Jornal Cruzeiro do Vale

Os vereadores se reuniram, na tarde de quarta-feira, dia 16, com o gerente da Auto Viação Rainha, Célio Roberto Hostin, a fim de debater a situação do transporte intermunicipal entre o Distrito do Belchior e Blumenau, na sede da Câmara. Uma das principais reivindicações foi a oferta de mais horários para essa linha de ônibus.

Para atender esta solicitação, Hostins pediu um levantamento dos usuários interessados na mudança. Segundo ele, para manter cada horário, é preciso haver no mínimo 20 passageiros. Propositora do encontro, a vereadora Franciele Back (PSDB) se comprometeu em apresentar o documento à direção da empresa de transporte e agendar uma reunião com o prefeito Kleber Wan-Dall para falar sobre o assunto junto com Hostins.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Vale

Moto e ônibus colidem em Gaspar

Uma colisão envolvendo uma motocicleta de Blumenau e um ônibus de estudantes de Gaspar deixou um homem ferido. O acidente aconteceu na Avenida das Comunidades às 17h30min de quarta-feira, 9 de agosto.

Segundo informações, o ônibus seguia da Avenida das Comunidades sentido Rua São Pedro e a motocicleta sentido Blumenau. O acidente aconteceu no momento em que o ônibus entrou na Rua São Pedro. A moto colidiu na lateral do ônibus e o motociclista Vanderlei da Silva, de 46 anos, teve suspeita de lesão no quadril. Ele foi atendido pelo Corpo de Bombeiros de Gaspar e encaminhado ao Hospital Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Foto: Cruzeiro do Vale

De acordo com o motorista do ônibus, Aristides Lemos de Barros, um agente da Diretoria de Trânsito estava no local e mandou que ele seguisse, sem obedecer o sinal amarelo indicado na sinaleira. “O guarda da Ditran fez sinal para eu passar. Eu dei uma segurada e fui. Quando já estava na metade do caminho vi que o outro sinal abriu e a moto veio”, conta.

Apesar do susto, o motorista e as crianças que estavam no ônibus não se feriram.

Fonte: Cruzeiro do Vale

Itajaí tem nova empresa de transporte coletivo

Um novo cenário do transporte público começa a surgir em Itajaí. A partir deste primeiro dia de agosto, a Empresa de Transportes Coletivo Itajaí Ltda. não é mais concessionária do serviço no município. Um contrato emergencial foi assinado com a empresa Transpiedade Transportes Coletivos. Ela assumirá as atividades até a conclusão do processo licitatório para contratação da nova e definitiva concessionária. A empresa iniciou as atividades e praticará o mesmo valor tarifário já existente.

Foto: Prefeitura de Itajaí

“Vamos oferecer à população de Itajaí o transporte público que ela merece. Um sistema inédito, eficiente e moderno será desenvolvido e deve ser concluído no próximo ano. Agora, demos o primeiro passo. Assinamos um contrato emergencial e estamos confiantes que esta nova empresa atenderá aos anseios da comunidade”, assegura o prefeito Volnei Morastoni.

A Transpiedade é uma empresa de Campo Largo/PR. Os trabalhos iniciarão com 18 veículos, sendo todos com acessibilidade. Ao todo, 35 ônibus virão para Itajaí para cumprir o contrato emergencial, sendo dez deles zero quilômetro.

Os veículos também estão adaptados às novas tecnologias: todos contam com monitoramento por GPS, sendo possível acompanhar a rota dos veículos, e 85% oferecem sistema wi-fi gratuitamente aos usuários. Outro diferencial é o reconhecimento facial para usuários cadastrados.

De acordo com o prefeito, a mudança de empresa prevê uma renovação de todo o sistema de transporte, uma vez que o atual modelo se mostra insustentável e pouco atrativo ao usuário. A primeira medida foi reestruturar as linhas e rotas. Toda a cidade será atendida com 18 destinos em quase 200 horários.

No período de 1º a 20 de agosto, até que a frota completa da Transpiedade esteja na cidade, o sistema poderá contar com o suporte dos veículos do plano emergencial, realizado em maio e julho deste ano. Será necessária autorização junto ao município para se cumprir uma rota específica.

“Ninguém ficará desassistido e não vamos medir esforços para que essa transição seja um sucesso. É um momento de celebração para todos que por muito tempo aguardaram um novo serviço de transporte em Itajaí”, avalia Volnei.

O Município de Itajaí esclarece que, para garantir a segurança jurídica e operacional da transição, as negociações foram mantidas em sigilo até o momento.

Para assegurar que nenhum usuário seja prejudicado, excepcionalmente neste primeiro dia de operação todas as formas de pagamento até então aceitas pela ex-concessionária também serão aceitas pela Transpiedade. Basta ter em mãos o Cartão SIM.

Foto: Prefeitura de Itajaí

Embarque

Os primeiros ônibus da Transpiedade saíram às 4h desta terça-feira para cumprir as linhas que começam já na madrugada. Os veículos são amarelos e a partir de amanhã (02) o pagamento da viagem deve ser feito em dinheiro ao motorista na hora do embarque.

Por conta da mudança de sistemas de bilhetagem eletrônica entre as empresas, o Município de Itajaí notificou a ex-concessionária para que, no prazo de 24 horas, apresente relatório individualizado dos créditos existentes nos cartões eletrônicos. A administração municipal busca garantir o ressarcimento dos créditos não utilizados até 31 de julho de 2017.

De 2 a 14 de agosto, os pagamentos deverão ser efetuados em dinheiro pelos mesmos valores já praticados: R$ 4,00 e R$ 2,00 para estudantes. Este período é necessário para que a empresa possa disponibilizar a venda de passes ou a bilhetagem eletrônica – o que poderá ocorrer num prazo menor do que previsto. O valor antecipado também será mantido: R$ 3,63.

O contrato emergencial garante a isenção do pagamento de passagem àqueles que se enquadram no atendimento prioritário (idosos, gestantes, lactantes, pessoas acompanhadas por crianças de colo e pessoas portadoras de deficiência física).

Encerramento do contrato

Descumprimento de linhas e horários, frota antiga e perda das condições econômicas – que levou os funcionários a paralisarem as atividades por duas vezes este ano -, estão entre os motivos que respaldam o encerramento do contrato. A Empresa de Transportes Coletivo Itajaí esteve à frente dos serviços no município por 53 anos.

“Tomamos uma decisão corajosa após inúmeras reuniões e negociações. Temos o respaldo jurídico, mas assegurar o atendimento à população foi nosso grande desafio. Continuaremos trabalhando incansavelmente para que Itajaí se torne a cidade que todos sonhamos”, aponta o prefeito Volnei.

A extinção do contrato de concessão pelo descumprimento de obrigações legais ou contratuais pelo concessionário foi feita em comum acordo com a empresa.

Licitação

O processo licitatório será participativo. Audiências públicas para ouvir a comunidade, discussões com a Câmara de Vereadores e um estudo técnico de mobilidade urbana para diagnosticar o melhor modelo de transporte para Itajaí. Estes três pilares nortearão o andamento das atividades que visam garantir o acesso da população a um transporte público de excelência e com o melhor custo-benefício.

Confira as linhas

182 – Terminal Fazenda / Boa Vista / São Roque

901 – Terminal Ressacada / Av. Itaipava / Km 12 / Baía / Paciência

905 – Terminal Ressacada / Lot. São Pedro / Av. Itaipava / Km 12 / Baía / Paciência / Arraial dos Cunha / Brilhante / Limoeiro

907 – Itaipava / Campeche / Contorno Sul

806 – Santa Regina / Portal II

804 – São Roque / Boa Vista / Laranjeira

803 – Espinheirinho de Cima / Horto / Portal II / Santa Regina

738 – Portal I / Espinheirinhos

736 – Murta / Salseiros

721 – Terminal Fazenda / Terminal Cordeiros / Odílio Garcia / Costa Cavalcanti / Votorantim / Jardim Esperança

715 – Terminal Fazenda / Imaruí / Terminal Cordeiros

626 – Terminal Fazenda / Rua Blumenau / TERRI / Estefano José Vanolli / Bambuzal / Rio Bonito / TERRI

625 – Terminal Fazenda / Rua Silva / TERRI / Estefano José Vanolli / Rio Bonito / Bambuzal

335 – Terminal Fazenda / Rua Silva / São João / Campos Novos / Nilo Bittencourt / Promorar / TERRI / Estefano José Vanolli

332 – Rio Pequeno / Rua Brusque / Promorar

111 – Terminal Ressacada – Rua José Gall – Rua Brusque – Terminal Fazenda

6025 – Terminal Fazenda / Praia Brava / Cabeçudas

702 – Corujão / Costa Cavalcanti / São Vicente / TERRI / Cidade Nova / Contorno Sul

Fonte: Prefeitura de Itajaí

Em greve, trabalhadores do transporte coletivo de Itajaí decidem pedir demissão em massa

Há uma semana em greve, os trabalhadores do transporte coletivo de Itajaí decidiram em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (13) continuar a paralisação e fazer um pedido de demissão em massa. Eles também afirmam que não vão manter a frota mínima de 30% circulando na cidade, como exigido pela Justiça.

A Justiça do Trabalho determinou na tarde de quarta-feira (12) que os funcionários da empresa Coletivo Itajaí mantenham 30% da frota circulando em horários normais e 60% em horários de pico. Mas em assembleia nesta quinta, os cobradores e motoristas decidiram não cumprir a decisão.

O Sindicato dos Motoristas de Itajaí e Região (Sitraroit) pretende entrar nesta quinta-feira na Justiça com um pedido de demissão em massa através de uma ação de rescisão indireta pedindo os direitos trabalhistas, pois a empresa Coletivo Itajaí não cumpre com o pagamento dos salários.

“A decisão dos trabalhadores foi para que o sindicato promova a rescisão coletiva, pois entendem que estão sendo humilhados, tratados com desdém e a situação que está é muito constrangedora. Por isso, que a pedido dos trabalhadores, o sindicato vai promover essa ação”, explica o advogado do sindicato Denisio Dolasio Baixo.

Além disso, segundo os trabalhadores, um dos motivos para não acatar a decisão judicial é que se a frota de 30% for mantida, haverá 35 ônibus coletivos circulando, enquanto que o plano emergencial montado pela prefeitura conta com 80 veículos para transporte alternativo.

Retorno ao trabalho

Os trabalhadores receberam 50% dos salários na última quarta-feira (5) e iniciaram a greve na quinta (6) pedindo o pagamento integral do salário.

A empresa diz que na sexta-feira (14) vai pagar o restante dos salários dos trabalhadores, posicionamento mantido desde o início da greve. Com isso, os trabalhadores devem voltar ao trabalho na sexta e pretendem continuar trabalhando até que o pedido de demissão em massa seja julgado.

Contratação de nova empresa

Já a Prefeitura de Itajaí está negociando com uma empresa de Curitiba para assumir emergencialmente o serviço na cidade e, assim, romper o contrato com a Coletivo Itajaí .

Uma equipe da empresa curitibana está estudando o trânsito de Itajaí para avaliar como o serviço pode ser prestado. Quando a negociação com a nova empresa for finalizada, o contrato com a Coletivo Itajaí será cancelado e a empresa de Curitiba assumirá até que uma nova licitação seja feita.

Fonte: G1 Santa Catarina

Prefeitura beneficia alunos da Apae com recursos para transporte

Nesta terça-feira, dia 11, acompanhado por autoridades do município, o prefeito Napoleão Bernardes assinou o termo de colaboração com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Blumenau (Apae). O evento, realizado na própria sede da instituição, oficializou o repasse de recursos no valor de R$ 96 mil para ajudar no custeio do transporte dos alunos portadores de necessidades especiais que residem no Distrito da Vila Itoupava. Atualmente, a Apae de Blumenau presta assistência para 425 alunos, incluindo os 14 que moram na vila.

Foto: Michele Lamim (Prefeitura Municipal de Blumenau)

Na oportunidade, foi realizada também a doação de um micro-ônibus pela empresa BluMob com capacidade para 22 lugares sentados e 12 em pé adaptado ainda com elevador para cadeira de rodas. Para o prefeito, a ajuda no custeio do transporte dos alunos é um trabalho inspirador e que serve de exemplo para toda a sociedade. “É um conjunto de ações promovidas pelo Executivo, em parceria com a BluMob, para com a instituição. Representa um gesto solidário e comunitário e que faz toda a diferença para quem presta este auxilio necessário a uma parcela da população”, disse. A próxima etapa é iniciar agora o repasse dos recursos por meio de parcelas, previstas para ainda este mês.

Fonte: Prefeitura Municipal de Blumenau

Há 10 anos – Mesmo com abaixo assinado, ponto de ônibus permanece no novo local

As 3044 assinaturas recolhidas por Irene Demmer, moradora do bairro Bela Vista, não foram suficientes para convencer o prefeito Adilson Schmitt a reativar o ponto de ônibus em frente à Lanchonete Alfa, desativado em meados de abril deste ano.

O material foi entregue ao prefeito durante uma audiência na manhã da última terça-feira, 5. Irene estava acompanhada da vereadora Mariluci Deschamps Rosa e outros apoiadores da iniciativa.

O material foi recebido pelo prefeito, pelo secretário de Planejamento, Maurílio Schmitt, pelo diretor de Transportes, Carlos Bornhausen, e pelo diretor de Trânsito, Ciro Quintino. O prefeito foi enfático ao afirmar que não irá reativar nenhum ponto da Rua São José.

Para amenizar a situação, o secretário Maurílio Schmitt propôs que Irene faça um levantamento sobre os principais horários em que a terceira idade utiliza o transporte coletivo para, assim, pedir que a Auto Viação Do Vale aumente o número de horários do ônibus Circular, que é a única linha autorizada a passar pelas ruas do Centro. “Criamos o ônibus Circular como uma linha opcional. Ele para onde a pessoa quiser. É um ônibus pequeno, de fácil acesso para idosos e portadores de necessidades especiais. A comunidade precisa apenas se acostumar a utilizar esta linha”, explica o secretário. Segundo Maurílio, serão criadas quantas linhas e horários forem necessários para que o Circular atenda a comunidade.

Apesar da proposta, dona Irene não se contentou e afirmou que irá fazer o necessário para que o ponto do Alfa seja reativado.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Vale (Edição 904 – 08/06/2007)

Comentário

Qual modelo moderno de transporte coletivo “afasta” os usuários do Centro da cidade? Qual o motivo para tirar os coletivos dos locais com maior concentração de passageiros?

Parece que o prefeito agia com opinião própria. E isso foi há somente dez anos!

Nem tudo que é novo, é moderno

Há dias venho acompanhando o progresso e retrocesso dos sistemas, deixei de ser apenas um mero fotógrafo e mantenedor de site de fotos. Comecei a estudar mais os sistemas de transporte do estado, desde as cidades pequenas até as maiores, inclusive da minha terra natal (Joinville).

Meu desabafo será direcionado a Blumenau, observando as últimas postagens sobre os novos ônibus veio a vontade de escrever esse texto, o mesmo postado em uma das publicações da página do prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes.

Ônibus novos fabricados na Marcopolo Rio a caminho de Blumenau. (Autor: Jhonatan Diego da Silva Trevisan / Ônibus Brasil)

Leia na íntegra

“Será a frota mais nova e mais moderna de todo o estado!”

Napoleão Bernardes (Prefeito de Blumenau/SC)

Tentarei concordar com tal frase num primeiro momento. É verdade mesmo que a frota é a mais nova em média de idade, sejamos justos. Blumenau conseguiu superar Chapecó no quesito de frota mais nova do estado. É também a mais nova do país, segundo a ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos).

Agora, dizer que é a mais moderna?

Quando falamos em modernidade, falamos em evolução. Analisando o edital da licitação na qual a BluMob foi vencedora, e comparando as exigências deste com a característica da antiga frota do Consórcio Siga, ex operadora do sistema, me parece que essa palavra foi deixada de lado em 23/01/2016, quando foi decretado a caducidade do contrato do Consórcio Siga. Eu sinceramente esperava um novo contrato com as mesmas, se não mais, exigências presentes no contrato com o Siga. Mas me frustrei. Até porque não vi os ônibus padrons, com motor traseiro, suspensão a ar, câmbio automático, enfim, o que há de mais moderno no mercado, sendo exigido nas linhas troncais, como era antes. Aplicaram os mesmos veículos das alimentadoras, mais simples, nas Troncais, e ponto.

Vamos comparar com outras cidades do estado e do nosso país

Modernidade é quando temos tecnologia de ponta e diferenciais que agradam o usuário. Infelizmente, em Blumenau, o poder público não atendeu de fato as necessidades da população local.

Modernidade está em Curitiba, por mais sucateado financeiramente que esteja o sistema, ele ainda possui pontos elogiáveis e que ainda servem de modelo para muitas cidades.

Modernidade está Florianópolis, que investe pesado em ônibus articulados, trucados, aplica a suspensão a ar até nos veículos mais simples e melhora as ofertas operacionais (horários e linhas).

Modernidade está em Joinville, que depois de muita luta dos passageiros cobrando de forma rígida melhorias, passou a adquirir ônibus com ar condicionado, tomadas USB, com câmbios automatizados e suspensão a ar, entre outros. Além disso, o sistema em si está ganhando mais locais de trânsito exclusivo aos ônibus.

Essa nova frota representa apenas a obrigação que a empresa assumiu em fornecer veículos para operar o sistema, ponto. São ônibus básicos, muitos são de padrões inferiores para operar sistemas como o de São Paulo ou as principais linhas de Curitiba, por exemplo.

A empresa no momento não traz articulados num sistema que apela por articulados de forma integral, pelo menos na principal linha da cidade, a 10. Onde temos terminais com manutenção precária, estruturas não condizentes com as necessidades da população.

Por fim, saber que as estações de pré-embarque, importantes para a operação ser mais flexível e ágil, serão descontinuadas, por terem sido construídas pelo Siga, além de provavelmente estarem atendendo uma demanda para desonerar a BluMob em relação a esse investimento. Afinal de contas, por que não construir novas estações? De onde tiraram a ideia de que duas catracas em um ônibus são mais eficientes que estações de pré-embarque?

Deixa eu ver se entendi o conceito de modernidade para a administração pública de Blumenau: utilizar o padrão de veículos alimentador em linhas troncais, excluindo a obrigação de se utilizar de veículo com motor traseiro, suspensão a ar e câmbio automático nessas linhas; substituir articulados (que hoje, no mercado, são vendidos com geralmente 19/20 metros e capacidade de carga de aproximadamente 150 pessoas), pelos trucados, em menor número de veículos, com menor capacidade de carga; e extirpar as estações de pré-embarque, substituindo-as por uma catraca a mais dentro dos trucados (isso é mais moderno que uma estação de pré-embarque?). É isso que é moderno então? Bem, acho que precisamos mudar o significado dessa palavra no dicionário. Até porque dentro do atual significado, tal concessão se enquadraria mais no conceito de retrocesso que no de modernidade.

Texto: Gustavo Campos Gatti, Técnico de Gestão de Mobilidade Urbana (certificado pela ANTP)

Revisão: Diego Felipe da Costa e Romney Alves Pereira

1 2 3 30