Corredor de ônibus da 9 de Março começa a funcionar a partir de segunda-feira

Como eram as rotas antigas e como serão as novas rotas dos ônibus. Divulgação: Prefeitura de Joinville

Mudanças vão ocorrer no trânsito de Joinville a partir de segunda-feira (5), com a implantação do corredor de ônibus da Rua 9 de Março. Com a alteração, os ônibus vão deixar de circular em diversas ruas da região no entorno do terminal central. A ideia é fazer uma ligação direta, pela 9 de Março, do terminal com as ruas Juscelino Kubstchek e João Colin, onde já há corredores. Dessa maneira, a prefeitura estima que o tempo para chegar nos terminais dos bairros será diminuído consideravelmente.

Consequentemente, a mudança tem efeitos para o transporte individual motorizado (carros e motos). Atualmente, a Rua 9 de Março é de mão única (duas pistas no mesmo sentido) e vai da Rua Henrique Meyer até o prédio da Prefeitura de Joinville. Isso vai mudar. Na segunda, a 9 de Março passa a ser de mão dupla a partir da esquina com as ruas JK e João Colin até a Rua São Joaquim. Dali para frente, o corredor passa a ser exclusivo para o transporte público.

Veja na imagem abaixo como as vias vão ficar:

Portanto, os veículos que vierem da JK em direção ao terminal precisam obrigatoriamente virar à direita na Rua São Joaquim (a primeira rua depois da biblioteca). Este passa a ter a preferência para entrar na Rua Engenheiro Niemeyer e em sequência para entrar na Rua do Príncipe, na região da Praça Nereu Ramos. Para retornar à 9 de Março, o motorista deve pegar a Rua Marinho Lobo e a Rio Branco (rua do Museu do Imigrante).

Para o secretário de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Danilo Conti, a medida beneficia a todos. O usuário do transporte público, pela diminuição do tempo dentro do ônibus, e melhora o trânsito para os carros, pois vai tirar os ônibus de 11 ruas centrais. Conti afirma que é normal haver reclamações no começo, mas que a prefeitura está privilegiando a coletividade.

A nova sinalização será colocada a partir de quinta-feira (1) e haverá orientação reforçada nos primeiros dias da mudança.

O poder público joinvilense buscou inspiração no conceito de cidade para pessoas, popularizado pelo arquiteto dinamarquês Jan Gehl, que busca estimular a utilização do transporte público e os trajetos a pé e de bicicleta e ao mesmo tempo desestimular o uso do transporte individual motorizado. A mudança, portanto, vai promover qualidade de vida para a população.

De acordo com um cálculo realizado pela prefeitura, o tempo economizado equivale a uma economia de R$ 3 milhões para o conjunto dos usuários do transporte durante um ano. Foram levados em consideração a quantidade de passageiros, de viagens e a hora média do trabalhador em Joinville (R$ 3).

Texto de Felipe Silveira

Fonte: O Mirante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *