Categorias
Geral

Decadência

A demanda pelo transporte coletivo urbano vem sendo reduzida nos últimos anos. Mesmo analisando a realidade de Santa Catarina, isso parece se repetir em todo o país.

O mercado vai mudando e evoluindo constantemente.

Empresas tradicionais, principalmente, acabam tendo dificuldades em se adaptar a diferentes situações devido a estrutura administrativa engessada.

O poder concedente também não se adapta a realidade, muitas vezes exigindo das empresas o cumprimento de horários e linhas sem demanda.

Estrutura

Terminais

Quando o assunto é infraestrutura, certamente o Brasil está muito atrasado. Estamos falando da falta de estradas, portos, aeroportos, ferrovias e tudo mais. Mas para não fugir do assunto principal, vamos falar somente em estruturas relacionadas ao transporte coletivo.

Já estive em diversos terminais do Vale do Itajaí e pude observar que na maioria deles o usuário não possui nem banheiro adequado e limpo para utilizar.

Um espaço desses precisa ter uma estrutura mínima para que o usuário se sinta confortável enquanto aguarda sua conexão. Bancos, lixeiras, banheiro adequado e segurança são o mínimo que precisa ser oferecido ao usuário.

Pontos de ônibus

Em relação aos pontos de ônibus, não adianta enfeitar, fazer as laterais de vidro e tal. Quinze dias já são suficientes para que os vândalos acabem com tudo.

Precisam fazer algum modelo de concreto – pré-moldado – trazer com guindaste e fixar no local. É o simples, somente isso.

Precisa ter iluminação adequada a noite e manutenção preventiva. Cansei de pegar ônibus em locais escuros, com teias de aranhas e goteiras.

Ônibus

Em um sistema de transporte o que menos importa é o ônibus. Claro que o veículo precisa estar em condições de uso e oferecer segurança aos passageiros. Mas avaliá-lo somente pelo seu ano de fabricação não é nada interessante.

O pessoal que curte ônibus vai ficar bravo comigo, mas também não adianta colocar um ônibus de motor traseiro – mais confortável, porém mais caro – para operar em um sistema mal estruturado.

É fundamental conhecer o sistema de transporte coletivo e adequar a frota ao serviço oferecido. Cada modelo de ônibus possui sua especificidade e aplicação e essas informações precisam ser respeitadas.

Não parece tão difícil, mas geralmente os três parágrafos anteriores não fazem parte da política de empresas e órgãos governamentais.

Tecnologia

Nem todos os usuários do transporte coletivo possuem celular e estão conectados na internet. Mas nos dias de hoje é impossível imaginar um bom sistema de transporte coletivo sem a utilização de aplicativos para consulta de horários e compra de passagens.

Existem excelentes sistemas disponíveis no mercado, mas deveriam ser unificados entre si e melhor alimentados para disponibilizar a informação correta ao usuário.

Não conheço ninguém que goste de ficar ‘plantado’ esperando um ônibus. Através de aplicativo – entre outras funções – o usuário pode acompanhar seu ônibus em tempo real.

Conclusão

Os problemas apontados nesse pequeno texto não são tantos assim. Em breve vou falar de outros. Mas são falhas que fazem com que o usuário perca a confiança e paciência com o transporte coletivo.

Hoje está mais fácil ter moto ou carro e o passageiro não é mais ‘refém’ do ônibus como foi no passado. Dessa forma, é bem mais fácil ele simplesmente abandonar o ônibus e colocar nas ruas mais um veículo de uso individual, enchendo ainda mais os centros urbanos.

Não há nada fora da realidade ou que não seja possível resolver com um pouco de planejamento e direcionamento. É preciso enxergar a realidade, perceber o que o consumidor quer e fazer as coisas de maneira simples.

Não é tão difícil.

Deixe uma resposta